O Troféu

Troféu Gustavo Kuerten de Excelência no Esporte  

Troféu Gustavo Kuerten de Excelência no Esporte foi criado por meio do Decreto n° 1.279 de 16 de abril de 2008, com o objetivo do Estado de Santa Catarina, por meio da Fundação Catarinense de Esporte (FESPORTE), homenagear atletas, entidades, técnicos e equipes catarinenses que tiveram destaque especial ao longo do ano.

 
A última alteração normativa ocorreu no dia 12 de julho de 2017, por meio do Decreto n° 1.221, que atualiza as regras do Troféu Guga Kuerten. Dentre as disposições, o destaque é a consolidação das 15 categorias, que já vinham sendo premiadas desde 2013 por meio de Edital.


Atualmente, os destaques esportivos são premiados nas seguintes categorias:


– atleta masculino;
– atleta feminino;
– atleta paradesportivo masculino;
– atleta paradesportivo feminino;
– atleta de futebol profissional;
– atleta-revelação;
– atleta-revelação paradesportivo;
– entidade esportiva;
– entidade paradesportiva;
– técnico;
– técnico do paradesporto;
– equipe esportiva;
– equipe paradesportiva;
– árbitro;
– árbitro do paradesporto.

Acesso o Decreto n°. 1.221 de 11 de julho de 2017 aqui!
http://www.sol.sc.gov.br/index.php?option=com_docman&view=document&alias=2534-decreto-1221-de-11-de-julho-de-2017-trofeu-guga&category_slug=Esporte-152&Itemid=245


Nas últimas 10 edições do Troféu Guga Kuerten de Excelência no  Esporte, foram agraciados 52 atletas, 16 entidades esportivas, 16 técnicos, 16 equipes e 11 árbitros.
 
Procedimento de Seleção:


Anualmente, as Federação Esportivas e Entidades Paradesportivas indicam seus destaques, por meio de formulário eletrônico, incluindo informações de currículo e principais títulos obtidos para cada categoria indicada. Posteriormente, a Gerência de Políticas e Projetos Esportivos avalia as informações referente às indicações e envia o resultado da homologação dos candidatos ao Conselho Estadual de Esporte (CED), responsável pela escolha de dois finalistas em cada categoria, de acordo com critérios técnicos.


Os candidatos remanescentes são escolhidos por meio de votação online, por meio do site do Troféu Guga Kuerten.


Os cinco finalistas de cada categoria são selecionados da seguinte forma: os três mais votados pela Internet acrescidos dos dois escolhidos pelo CED.
O campeão de cada categoria é eleito por uma comissão específica – Curadoria do Troféu Gustavo Kuerten de Excelência no Esporte, – instituída exclusivamente para tal fim, formada por 9 membros das seguintes entidades: 


– Fundação Catarinense de Esporte;
– Conselho Estadual de Esporte;
– Tribunal de Justiça Desportiva de Santa Catarina;
– Conselho Regional de Educação Física;
– Associação dos Cronistas Esportivos;
– Instituto Guga Kuerten;
– Associação das Federações Esportivas do Estado de Santa Catarina.

A premiação é uma realização da Fundação Catarinense de Esporte – FESPORTE em parceria com o Instituto Guga Kuerten.

Comenda

A Comenda do Mérito Esportivo foi instituída pela Resolução 1/94 do Conselho Estadual de Esporte, de acordo com as deliberações da sessão do dia 5 de julho de 1994. O título de Comenda Esportiva é honroso, e destinado a galardoar brasileiros e/ou estrangeiros que tenham se destacado e/ou prestado relevantes serviços ao desporto catarinense ou nacional. A partir do ano de 2000, foi criado a “Comenda Institucional“, a ser outorgada a entidades esportivas com personalidade jurídica. No ano de 2016 foi instituída a comenda “in memoriam”, destinada a prestar homenagem póstuma àqueles que muito contribuíram para o esporte e que não foram agraciados em vida por alguma razão. A Comenda do Mérito Esportivo é outorgada pelo Conselho Estadual de Esporte, através de Processo eleitoral realizado anualmente, e que em Sessão solene, confere o título de Comendador do Esporte Catarinense. Compõe a homenagem: medalha de lapela, distintivo de lapela e diploma.

Relação de todos os agraciados com a Comenda do Mérito Esportivo:

Medalha

A Medalha Marcílio César Ramos Krieger, criada através de Resolução nº 003/2011, do Tribunal de Justiça Desportiva do Estado de Santa Catarina, é a honraria concedida a brasileiros e/ou estrangeiros que tenham se destacado e/ou prestado relevantes serviços à Justiça Desportiva Catarinense ou Nacional. Jornalista e advogado, Marcílio César Ramos Krieger faleceu em 25 de fevereiro de 2010, aos 71 anos, vítima de uma parada cardíaca.

Era catarinense de Brusque, formado em Direito em 1963 pela Universidade Federal de Santa Catarina, sendo autor de obras como CÓDIGO BRASILEIRO DISCIPLINAR DO FUTEBOL ANOTADO E LEGISLAÇÃO COMPLEMENTAR (96), Terceiro Milênio; COMENTÁRIOS AO CÓDIGO BRASILEIRO DISCIPLINAR DO FUTEBOL (97), Editora Forense; LEI PELÉ E LEGISLAÇÃO DESPORTIVA BRASILEIRA ANOTADAS (99), Forense e Gryphus; EXAME DE ORDEM (Organizador) (2000), Editora OAB/SC.

Publicou diversos trabalhos na imprensa, sobre temas desportivos. Em razão de sua atuação como militante da organização Ação Popular, teve que exilar-se em 1969, retornando ao Brasil em 1979, com a anistia política. A partir de 1980 retornou à advocacia, especializando-se em Direito Desportivo através de uma intensa participação como Defensor Dativo de atletas junto ao Tribunal de Justiça Desportiva da Federação Catarinense de Futebol e outros tribunais desportivos e Procurador do TJD/FCF entre 1985 e 2000. Participou de diversos eventos como palestras, cursos, seminários em Santa Catarina, Amazonas, Pará, São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraná, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo promovidos por entidades como Secionais da OAB, Institutos de Direito Desportivo, Conselhos Regionais de Educação Física, Associações de Acadêmicos de Direito, Conselhos Estaduais de Desporto, Instituto Brasileiro de Direito Desportivo.

Prestou consultoria sobre Direito Desportivo a clubes, atletas e sindicatos de atletas, a órgãos da mídia impressa (jornais Lance, Folha de São Paulo, Jornal do Comércio (Recife), Estado de São Paulo, Diário Catarinense e outros) e eletrônica (Rádios CBN, Bandeirantes, Jovem Pan, Guaíba, Record dentre outras). Colaborou com a Comissão Mista do Congresso Nacional nos debates em torno do Projeto Pelé, mais tarde convertido na Lei Pelé (Lei nº 9.615/98). Participou, como palestrante, da Primeira Conferência Nacional de Educação, Cultura e Desporto “Desafios para o Século XXI”, Comissão de Educação, Cultura e Desporto da Câmara dos Deputados.

Foi palestrante-convidado da Comissão Parlamentar de Inquérito da Câmara dos Deputados (CPI NIKE/CBF), e também, da Comissão Parlamentar de Inquérito do Senado (CPI DO FUTEBOL), tendo participado de reuniões em Brasília e Porto Alegre. Foi Presidente do Tribunal de Justiça Desportiva de Santa Catarina, Presidente da Comissão de Direito Desportivo da OAB/SC, Presidente do Instituto Catarinense de Direito Desportivo, conselheiro do Conselho Estadual de Desporto/SC, auditor no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), membro do Centro Esportivo Virtual/Cevleis – lista de debates eletrônicos – Conselheiro Benemérito do Instituto Brasileiro de Direito Desportivo e foi um dos autores do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD).


Vencedores 2008

Categoria Melhor atleta: Marcos Vicente dos Santos
Categoria Atleta revelação: Bianca Mafra
Categoria Melhor entidade esportiva: Fundação Municipal de Desportos de Blumenau
Categoria Melhor técnico esportivo: Paulo Silas do Prado Pereira
Categoria Melhor equipe: Avaí Futebol Clube


Vencedores 2009

Categoria Melhor atleta: Bruno Mossa de Rezende
Categoria Atleta revelação: Angélica Roberta Passold
Categoria Melhor entidade esportiva: Ciser/Araldite/Univille
Categoria Melhor técnico esportivo: Marcos de Melo “Pacheco”
Categoria Melhor equipe: Universidade do Oeste de Santa Catarina – UNOESC


Vencedores 2010

Melhor atleta: Bruno Fontes, na modalidade vela;
Atleta-revelação: Tamiris de Liz, na modalidade atletismo;
Melhor entidade esportiva: Associação Corville de Atletismo, de Joinville;
Melhor técnico esportivo: Márcio Goiano
Melhor equipe: Figueirense Futebol Clube
Melhor para-atleta: Julia de Almeida Weiss, na modalidade natação.


Vencedores 2011

Melhor atleta: Luisa Matsuo
Melhor atleta profissional: Ronieri da Silva Pinto
Atleta revelação: Luy Mauriki Dias de Lima
Melhor entidade esportiva ou paradesportiva: CEPE – Centro Esportivo para Pessoas Especiais
Melhor técnico esportivo: Maria Helena Kraeski
Melhor Equipe: Atletismo Rio do Sul
Melhor atleta paradesportivo: Sheila Finder


Vencedores 2012

Não houve premiação


Vencedores 2013

O melhor atleta: Jucian Rafael Alcantara Pereira
A melhor atleta: Vanessa Feliciano
O melhor atleta paradesportivo: Roberto Alcalde Rodrigues
A melhor atleta paradesportiva: Sheila Finder
O melhor atleta do futebol profissional: Rafael Costa dos Santos
O(a) atleta revelação: Bruna Maria Cestrem
O(a) atleta revelação do paradesporto: Pablo Felipe da Silva
A melhor entidade esportiva: Iate Clube de Santa Catarina Veleiros da Ilha
A melhor entidade paradesportiva: AFADEFI – Associação de Apoio às Famílias de Deficientes Físicos
O(a) melhor técnico(a): Jeberton Luis Fermino
O(a) melhor técnico(a) do paradesporto: Rosicler Ravache
A melhor equipe esportiva: Equipe xadrez masculino de menores de Blumenau
A melhor equipe paradesportiva: Tubarões de Floripa
O(a) melhor árbitro(a): Marcia Zanon Benetti


Vencedores 2014

O Melhor Atleta: Pedro Barros
A Melhor Atleta: Fernanda Schimitz Goulart Delgado
O Melhor Atleta Paradesportivo: Rodrigo Alexandre Silvério
A Melhor atleta paradesportiva: Sheila Finder
O Melhor atleta de futebol profissional: Tiago Volpi
O Atleta Revelação: Ana Giulia Pereira de Faria Zortea
O Atleta Revelação Paradesportivo: Felipe Figueiredo Formentim
A Melhor Entidade Esportiva: Associação das Federações Desportivas de Santa Catarina
A Melhor Entidade Paradesportiva: FESPORTE
O Melhor Técnico: James Wilson Curtipassi
O Melhor Técnico do Paradesporto: Rosicler Ravache
A Melhor Equipe Esportiva: Nova Trento
A Melhor Equipe Paradesportiva: Afadefi
O Melhor Árbitro: Paulo César Guimarães Júnior
O Melhor Árbitro do Paradesporto: André Luis da Cunha


Vencedores 2015

O melhor atleta: DOUGLAS SANTOS BROSE – Modalidade: Karatê
A melhor atleta: VALÉRIA KUMIZAKI – Modalidade: Karatê
O melhor atleta paradesportivo: LUCAS ANDRÉ FERRARI – Modalidade: Atletismo
A melhor atleta paradesportiva: SHEILA FINDER – Modalidade: Atletismo
O melhor atleta de futebol profissional: ALEX ROBERTO SANTANA RAFAEL – Votorantin/SP – Goleiro – Figueirense
O(A) atleta revelação: LUCAS VICENTE – Florianópolis – Modalidade: Surf
O(A) atleta revelação paradesportivo: SUZANA NAHIRNEI – Blumenau – Modalidade: Atletismo
A melhor entidade esportiva: ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS DO ESPORTE NEOTRENTINO – Data de fundação: 02/02/02 – Município: Nova Trento
A melhor entidade paradesportiva:AFADEFI – ASSOCIAÇÃO DE APOIO AS FAMÍLIAS DE DEFICIENTES FÍSICOS
Área que fomenta: Basquete em Cadeiras de Rodas, Atletismo, Bocha Paralímpica – Data de fundação: 07/11/02 – Município: Balneário Camboriú, SC

O(A) melhor técnico(a): MARIA HELENA KRAESKI – Modalidade: Ginástica Rítmica
O(A) melhor técnico(a) do paradesporto: ALEXANDRE MEDEIROS GHIZI – Modalidade: Tênis de Mesa
A melhor equipe esportiva: ASSOCIAÇÃO DE GINÁSTICA RÍTMICA DESPORTIVA DE JOINVILLE – Modalidade: Ginástica Rítmica – município de Joinville
A melhor equipe paradesportiva: TÊNIS DE MESA PARADESPORTO ASSOCIAÇÃO DOS DEFICIENTES FÍSICOS DE CRICIÚMA – JUDECRI – Município: Cricíuma
O(A) melhor árbitro(a): PAULO LUIS BEAL – Modalidade: Voleibol
O(A) melhor árbitro(a) do paradesporto: ELIZABETH ALBANO – Modalidade: Bocha Paralímpica


Vencedores 2016

O melhor atleta: FELIPE ALMEIDA WU – Modalidade: Tiro
A melhor atleta: JÉSSICA SAYONARA MAIER – Modalidade: Ginástica Rítmica
O melhor atleta paradesportivo: YMANITU SILVA – Modalidade: Tênis
A melhor atleta paradesportiva: SHEILA FINDER – Modalidade:Atletismo
O(A) atleta revelação: TAINAN DALPRÁ COSTA – Modalidade: Jiu Jitsu
O(A) atleta revelação paradesportivo: IZABELA DIAS DE SOUZA – Modalidade: Natação
A melhor entidade esportiva: ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA GUARACIABA – Modalidade: Voleibol
A melhor entidade paradesportiva: AFADEFI – ASSOCIAÇÃO DE APOIO AS FAMÍLIAS DE DEFICIENTES FÍSICOS
Área que fomenta: Basquete em Cadeiras de Rodas, Atletismo, Bocha Paralímpica

O(A) melhor técnico(a): VANDERLEI MACHADO DE OLIVEIRA – Modalidade: Karatê
O(A) melhor técnico(a) do paradesporto: ANA MARIA FONSECA TEIXEIRA – Modalidade: Basquete em Cadeiras de Rodas
A melhor equipe esportiva: ASSOCIAÇÃO RIO DO SUL VÔLEI – Modalidade: Voleibol
A melhor equipe paradesportiva: FUNDAÇÃO CATARINENSE DE EDUCAÇÃO ESPECIAL – FCEE – Modalidade: Bocha Paralímpica
O(A) melhor árbitro(a): CRISTIANO JESUS MARANHO – Modalidade: Basquetebol
O(A) melhor árbitro(a) do paradesporto: DEIVIS ELTON SCHLICKMANN FRAINER – Modalidade: Atletismo


Vencedores 2017

O Melhor Atleta: EDER GIOVANI LUCIANO – Modalidade: Bodyboarding
A Melhor Atleta: MARIANY HATORI MIYAMOTO – Modalidade: Ginástica Rítmica
O Melhor Atleta Paradesportivo: BRUNO BECKER DA SILVA – Modalidade: Natação
A Melhor Atleta Paradesportivo: SUÉLEN MARCHESKI DE OLIVEIRA – Modalidade: Atletismo
O Melhor Atleta de Futebol Profissional: DOUGLAS ALAN SCHUCK FRIEDRICH – DOUGLAS
O(A) Atleta Revelação: LUCAS MORESCO ZIMMERMANN – Modalidade: Bicicross
O(A) Atleta Revelação Paradesportivo: EMANUELLY KEILLA REMOALDO – Modalidade: Atletismo
A Melhor Entidade Esportiva: DESTERRO RUGBY CLUBE
A Melhor Entidade Paradesportiva: ASSOCIAÇÃO DO PARADESPORTO DE BLUMENAU – APESBLU – Modalidade: Atletismo
O(A) Melhor Técnico – VANESSA HAGEMAN – Modalidade: Ginástica Rítmica
O(A) Melhor Técnico do Paradesporto – GUILHERME RIBEIRO SOARES – Modalidade: Remo paralímpico
A Melhor Equipe Esportiva: ADIEE UDESC FME – JUVENIL – Modalidade: Ginástica Rítmica
A Melhor Equipe Paradesportiva – EQUIPE FME / MAMPITUBA DE TÊNIS DE MESA PARALÍMPICO
O(A) Melhor Árbitro(a) – BERNADETE CONTE – Modalidade: Atletismo
O(A) Melhor Árbitro(a) do Paradesporto – ADEMAR JOSÉ KAMMLER – Modalidade: Atletismo